2005-12-30

Grandes fotógrafos - William Eggleston














Como complemento às nossa imagens, passamos a apresentar também no Imagoluce pequenos apontamentos sobre grandes fotógrafos, sugerindo links para sítios da internet nos quais poderão ser apreciadas reproduções de obras dos mesmos. Iniciamos esta série com o fotógrafo norte americano William Eggleston.
Criado numa plantação de algodão do delta do Mississippi, William Eggleston vem criando desde os anos 60 um singular retrato do sul dos E.U.A. As suas fotografias de grande formato monumentalizam aspectos por vezes banais do quotidiano. Cedo abandonou o preto e branco em favor das tecnologias da cor, o que lhe valeu a reputação de pioneiro na fotografia colorida contemporânea e, nesta área, o mais importante e influente fotógrafo do século XX.

http://www.egglestontrust.com/

2005-12-29

Egipto 2002

Edfu - Templo de Hórus
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-24

Largo de S. Cristóvão do Bairro do Atalaião
















"Confrades e amigos
Com a prenda de Natal deste ano, que foi uma Pentax digital, fiz esta primeira foto entre outras: o largo de S. Cristóvão do Bairro do Atalaião, aonde moro.
Quantas vezes já o vi sob a chuva e sob o sol, de noite e de dia, esperando presenças desejadas e vendo ali passar as mais diversas silhuetas!
Mas nunca o vira assim, em retrato, porque - e pasmo por isso - nunca lhe tirara daqui da varanda nenhuma fotografia...
Outras, de cariz diverso, se seguirão. Naturezas mortas, naturezas vivas, momentos de ócio e de labor e de simples vilegiatura que a objectiva (o pequeno écran) plasmará na sua imutabilidade. Mas esta - por ser a primeira, como nos grandes amores - teve um sabor especial...
Boas Festas a todos!
NS"

2005-12-21

QUINTAL















"(...) E, instado pelo sr. chefe de brigada, o acusado disse: '-Sim, era na altura do Natal que lá se viam as laranjeiras, os limoeiros e as tangerineiras, no meio de outras árvores de fruto e de algumas poucas oliveiras. Aquilo esplendia sob a doçura do silente sol de Dezembro. E a mãe recomendava sempre à mana: 'Vê lá não caias da escada...', referindo-se ao artefacto de madeira mediante o qual se chegava aos mais altos ramos. Levavam-se sempre dois saquitéis - e um deles acolhia os limões para que a sua casca bendita, ralada, polvilhasse a fina massa das filhozes e azevias...
E interrompeu o sr. procurador e, à sua interpelação, respondeu o acusado:" Era a avó, a tia Maria Serenina, a prima Rosa, a vizinha Generosa, além dos mais próximos é claro. Reuníamo-nos na sala grande, havia a mesa de castanho, a lareira...". E a mais uma pergunta, que pareceu atrapalhá-lo, do sr. chefe de brigada, o detido declarou: '-Cantávamos, sim, confesso que cantávamos: loas ao deus-menino, rimances onde se falava nas consoadas distantes, modas aprendidas através dos tempos. E sentíamo-nos felizes - e lá fora, enquanto nós ceávamos seroando na santa paz das horas, lá fora as árvores descansavam sob a luz da lua e do firmamento recamado.'

Ao arguido foi levantado o competente processo por delito poético natalício".

NS

2005-12-19

Finlândia 2001

Rovaniemi XI
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Finlândia 2001

Rovaniemi X
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Finlândia 2001

Rovaniemi IX
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-17

a.

b.

2005-12-16

Finlândia 2001

Rovaniemi VIII
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-15

Finlândia 2001

Rovaniemi VII
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-14

Finlândia 2001

Rovaniemi VI
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Rovaniemi V
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-13

Finlândia 2001

Rovaniemi IV
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Finlândia 2001

Rovaniemi III
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Finlândia 2001

Rovaniemi II
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-12

Paris de dia
















"(...) Rastignac ficou só, deu alguns passos em direcção ao cimo do cemitério e viu Paris espraiado sinuosamente ao longo das duas margens do Sena, onde as luzes começavam a brilhar. Os seus olhos fixaram-se quase avidamente entre a Praça Vendome e a cúpula dos Inválidos. Era ali que vivia a alta sociedade em que quisera penetrar...
Deitou àquela colmeia zumbidora um olhar que dir-se-ia sugar-lhe antecipadamente o mel e proferiu estas palavras grandiosas:
- Agora nós! (...)

Honoré de Balzac

Finlândia 2001

Rovaniemi I
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-12-02

Egipto 2002

Margem esquerda do Rio Nilo IV
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-30

Egipto 2002

Margem esquerda do Rio Nilo III
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-29

Egipto 2002

Margem esquerda do Rio Nilo II

nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-25

ISTO FOI














Foi no Verão e foi no Inverno
e se umas vezes era de tarde, noutras
vezes era de manhã. E era dia e era noite
quando isto foi. E foi imagem desenhada
e foi lugar e utensílios
noema e recordação e foi
porta e parede
o odor das sopas e dos assados, o odor
das outras partes da casa e do
exterior que entrava pela sacada em frente
da entrada.

Isto era
isto foi
isto é
ou seja

isto é,
que é como quem diz
isto não passa de retrato ausente e muito aqui
mas é mais e por vezes menos, mas
em todo o caso é, é claro(escuro)
uma fotografia, leia-se
- um lado de fora das coisas
um lado de dentro das coisas

em resumo -
um fora que está por dentro dos seres e do mundo.

NS

Egipto 2002

Margem esquerda do Rio Nilo I
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-24

Olhe














“(…)Olhe: para ver, mando-lhe uma foto de Arronches, em perfil ao fundo do montado (como se chama ao campo daqui, planície com sobreiros, oliveiras, aqui e ali c/ porcos e ovelhas a pastar...). Eu gosto muito do montado, quando regresso de outras terras - principalmente no Verão - e aqui chego, literalmente sinto o coração a bater e uma sensação de alegria, nostalgia, "tendresse" (vai à francesa, para ser mais expressivo). Vêm-me ao pensamento minutos, momentos, situações que me têm envolvido nestes lugares. Sou, creio eu que sem desdouro, alentejano até dizer basta!(…)” – Fragmento de carta ao poeta brasileiro Renato Suttana

NS

Egipto 2002

Abu Simbel
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Sem título

2005-11-23

Egipto 2002

Cairo V
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-22

Veneza, Setembro de 2001

Posted by Picasa

Egipto 2002

Cairo IV
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-21

OS ENIGMAS DO QUARTO FECHADO E DA FOTOGRAFIA ARTÍSTICA

No blog "O Colédoco" publicou-se este texto, brilhante reflexão de Nicolau Saião sobre a fotografia. Fica aqui o link:

http://-coledoco.blogspot.com/2005/11/os-enigmas-do-quarto-fechado-e-da.html

Egipto 2002

Cairo III - Mesquita Muhammad Ali
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-19

Cinque Terre

Italia 2005

2005-11-18

Egipto 2002

Cairo II
nikon F-601 / diaopositivo / photoshop

2005-11-17

Egipto 2002

Cairo I
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-16

Standard

Egipto 2002

Planalto de Ghiza III
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-15

O «não importa o quê»

"(...)Inicialmente a fotografia, para surpreender, fotografa o notável; mas em breve, por meio de uma reviravolta conhecida, ela decreta que é notável aquilo que fotografa. O «não importa o quê» torna-se então o cúmulo sofisticado de valor(...)"

Roland Barthes, in "A Câmara Clara"

2005-11-14

Egipto 2002

The dark side of ... the sfinx.

nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-10

SUR LE PONT MIRABEAU COULE LA SEINE...

...como diz o poeta e cantava Yves Montand.















E corre serenamente, que o velho Sena é rio urbano e amável - excepto quando algum triste de desamores ou desconsolos, ou um "clochard" misterioso como no livro de Simenon, aparece a boiar nas suas águas tão naturais como artísticas. Sim, porque este rio que pertence à lenda e à história tem tudo a ver com os artistas - famélicos ou talentosos, convencionais ou triunfantes que o buscam, o olham e o recordam incessantemente.
Isto é um lugar comum, claro, mas não fará mal recordar as manhãs e as tardes em que uma vasta assembleia de pintores, pintorzecos e pintorzões lhe enchem as margens para o imortalizar por mais meia-dúzia de anos...
E os alfarrabistas? E os caçadores de pechinchas entre os quais me contei, me tenho contado e me contarei sempre que tenha o assombro de lá ir?
Eu disse assombro? Pois disse - porque é disso que se trata: o assombro que sempre me percorre enquanto estou naquela cidade de facto iluminada e luminosa, mesmo que seja percorrida com o lume de espúrios incêndios.
E aqui ocorrem-me os versos de um amigo já ido, Manuel da Fonseca, celebrando um outro rio: "Rio que levas as águas/correndo de par em par/ lava a cidade de mágoas/leva as mágoas para o mar".
Je te salue, ma belle Seine!

NS

Egipto 2002

Planalto de Ghiza II
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-09

A vida num olhar



máquina: Canon IXUS 400
exposição: 1/320 seg
abertura: F 3,2
dist. focal: 9 mm

Sem Título

Porto 2005



2005-11-07

Egipto 2002

Planalto de Ghiza
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-11-04

Qu'é que se passa aí?



máquina: Canon IXUS 400
exposição: 1/2 seg
abertura: F 2,8
dist. focal: 7 mm

Aonde?



máquina: Canon IXUS 400
exposição: 1/640 seg
abertura: F 4,5
dist. focal: 18 mm

2005-11-02

FUI AO NORTE VIM AO NORTE...















... lá do Sul que longe fica.
Fiquei mais perto de Espanha
mais pertinho da Galiza.
E num recanto da Serra
lá na curva duma estrada
vi uma aldeia no fundo
para ser fotografada.
Ficou aqui a presença
a presença e a figura
dum lugar de muito enlevo
e de muita formosura.
Aldeia que tens na serra
no vale onde cresce a urze
tuas casas teu perfil
- que ninguém de ti abuse!
Que nunca o mal te destrua
nem a água nem as chamas
que sejas sempre gentil
mesmo pobre e quase nua
mesmo sem riqueza ou famas.
Estava sol fazia sol
para seres fotografada
numa curva do caminho
mesmo à beirinha da estrada!

NS

2005-10-27

Planos II

Espinho, 2005

Planos I

Espinho, 2005











2005-10-21

Cuba 1998

Trinidad IV
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

2005-10-20

Cuba 1998

Trinidad III
nikon F-601 / diapositivo / photoshop

Portugal,Museu do Brinquedo,Sintra-2001